segunda-feira, 7 de maio de 2012

NEWS ROOM: Salvador: Rodoviários e patrões realizam mais uma rodada de negociações


Salvador: Rodoviários e patrões realizam mais uma rodada de negociações 


Motoristas e cobradores de ônibus participam, nesta terça-feira (8), de uma rodada de negociações com representantes do Setps (Sindicato das Empresas de Transporte) e da Abemtro (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Rodoviário do Estado da Bahia), com o objetivo de chegar a um acordo quanto às reivindicações da campanha salarial da categoria. De acordo com o diretor financeiro do Sindicato dos Rodoviários, Hélio Ferreira, se não houver consenso, a categoria poderá entrar em greve por tempo indeterminado.
 
A categoria reivindica 8% de ganho real, o fim da terceirização, redução da jornada de trabalho para 6h, além do retorno do quinquênio recusado pela Justiça no ano de 2006. Pedem também aumento da participação nos lucros de 15% para 30% na volta das férias, aumento do vale-alimentação de R$ 10,70 para R$ 15, incluído também no período das férias. Ainda faz parte da reivindicação a extensão do plano de saúde para todos os integrantes da família, o que representa 14% de benefício geral.
De acordo com o Asssessor de Relações Sindicais do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Salvador (Setps), Jorge Castro, a entidade espera que os rodoviários recuem em algumas propostas, já que muitas são consideradas inviáveis pelo patronato. "Caso venham com o mesmo discurso, o caso será decidido em dissídio [processo judicial]", alertou.
Divergências - Dentre as exigências consideradas abusivas estão o aumento de 18% no salário, a redução do tempo de trabalho de sete para seis horas diárias, além do aumento do ticket em até 35% e o ganho do benefício durante as férias.
Em Salvador, rodam cerca de 2,3 mil ônibus urbanos com 6 mil motoristas e 6 mil cobradores. O motorista de ônibus urbano recebe R$ 1.360 e o cobrador, em média R$ 760. Com o aumento, motoristas passariam a receber cerca de R$1.550.

Nota - Em nota divulgada à imprensa, na manhã desta segunda-feira, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários da Bahia (Sinttroba), explicou que "a perspectiva de uma greve é concreta". Segundo a nota, já foram realizadas seis rodadas de negociações sem avanços. Os rodoviários dizem não querer prejudicar a população, mas alegam também que não podem aceitar as propostas "inadmissíveis" dos empresários.
Vale lembrar que, de acordo com a lei, o transporte coletivo é considerado serviço ou atividade essencial à população. Se decidirem iniciar uma greve, é indispensável que os rodoviários comuniquem 72 horas antes a usuários e empregadores para que o movimento não seja considerado ilegal.
Fonte: A Tarde
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário