terça-feira, 18 de março de 2014

SPORT CAR: O LAND ROVER EVOQUE DE NOVE MARCHAS QUE PARTE DE R$ 192 MIL

 

O LAND ROVER EVOQUE DE NOVE MARCHAS, QUE PARTE DE R$ 192 MIL


SUV mantém motor 2.0 turbo de 240 cv, mas ganha três marchas e pequenas mudanças estéticas; modelo pode custar até R$ 277.900
por GIULIA LANZUOLO
  
Range Rover Evoque 2015 (Foto: Divulgação)
São necessários dez anos de curso e 1.500 horas de vôo para que um piloto seja capaz de conduzir um Boeing 737 e interpretar suas centenas de botões. No novo Range Rover Evoque, não chega a ser tão complicado. Mas vale gastar pelo menos meia hora para entender o cockpit do modelo, cuja linha 2014 começa ser vendida na próxima segunda-feira (17), de R$ 192 mil a R$ 277.900. Mais de 40 botões dão acesso às novas tecnologias do SUV, sem falar nas aletas do volante, que deixam à mão as nove marchas. Segundo a Land Rover é a primeira transmissão automática com esse número de velocidades.
No Brasil, a transmissão chega para substituir o câmbio automático de seis marchas e traz consigo metas agressivas da montadora britânica. Em média, 600 unidades do Evoque são vendidas por mês. Com a chegada da nova gama, a Land Rover pretende chegar a 750 veículos mensais. Até o segundo semestre, é possível que a cota de importações dobre devido ao início das obras em Itatiaia (RJ), onde a fabricante terá sua própria linha de produção até 2016. Mas o Evoque não deve ser produzido aqui, segundo uma fonte ligada ao fabricante. A marca quer investir em um segmento abaixo dos Range Rover, então o Freelander de terceira geração é o mais provável.

 Range Rover Evoque 2015 (Foto: Divulgação)

Desempenho

O novo Range Rover Evoque preserva sob o capô o mesmo motor 2.0 turbo de quatro cilindros. São 240 cv a 5.500 rpm e 34,7 kgfm a 1.750 giros -  na linha 2013, a potência máxima chegava a 6.000 rpm e o torque a partir de 1.900 rpm. Mas todo o destaque está mesmo no lançamento da transmissão ZF-9HP. De acordo com a montadora britânica, a relação de marchas foi recalibrada para permitir trocas mais curtas e condução confortável em velocidades de cruzeiro. De acordo com a Land Rover, a caixa é 6 mm mais larga e pesa 7,5 kg as menos que a anterior. Em relação à linha 2013, o modelo perdeu 100 kg no total.

Versões Preços
Evoque Pure R$ 192.000
Evoque Prestige R$ 219.100
Evoque Prestige Tech R$ 271.900
Evoque Dynamic R$ 227.200
Evoque Dynamic Tech R$ 277.900



Aceleramos a versão Dynamic Tech Pack, topo de linha, e a boa calibragem das marchas fica clara quando acionado o modo Sport, que habilita as trocas por borboletas no volante. Condutores de primeira viagem estranharão a ausência do freio de mão e da alavanca de câmbio tradicionais - tudo substituído por um botão e um comando giratório, respectivamente. Apesar de criativas e bonitas, as soluções não são nada intuitivas. É necessário olhar bem para o comando giratório para ver que é necessário ir até o final para posicionar as aletas. Essas, pelo menos, não poderiam ser mais práticas.

Começamos esticando marchas, mas foi difícil quebrar o silêncio sepulcral do habitáculo. Suprime um sentido, mas adiciona emoção em outros. A potência e a força do Evoque empolgam muito, porém com a cordialidade de um lorde inglês. A 140 km/h na nona marcha do modo Sport, o 4 cilindros do Evoque operou no limite das 2 mil rpm. As aletas proporcionam trocas simultaneamente suaves e esportivas. Sabe aquele friozinho na barriga que você sente em turbulências auronáuticas? É quase isso.

O sistema casa melhor com estradas, mas também vai bem nas cidade, sem solavancos na hora de voltar ao automático. Nessa hora, o SUV apresenta trocas quase imperceptíveis, a não ser pelo sobe e desce de giros que entrega alteração de marcha. A resposta rápida do pedal e, novamente, a cabine silenciosa, podem ser o prenúncio de desempenho esportivo. Nos testes da Autoesporte, o utilitário foi de 0 a 100 km/h em 8,4 segundos. Nada mal, porém, andou bem menos que o Evoque testado anteriormente. Mesmo com câmbio de seis marchas, o britânico fez o mesmo em 7,7 s. 
 Range Rover Evoque 2015, versão Dynamic tech (Foto: Divulgação)
Design, itens de série e espaço

O visual do Evoque sofreu pequenas alterações. Retrovisores foram reduzidos e receberam um filete de LED no lugar das luzes de seta. O acabamento interno passa a ser oferecido em outras opções e inclui agora detalhes em alumínio no painel. Há também novas cores externas e rodas de liga leve de 18, 19 e 20. No mais, ele continua com a cara de carro conceito.
Entre os itens de tecnologia, o SUV recebeu novo sistema de torque vetorial, que distribuí a força de forma independente em cada roda. É graças a ele que o novo utilitário se sai tão bem nas curvas, mesmo com seus 4,35 metros de comprimento, 1,90 m de largura e 1,62 m de altura. Na cidade, porém, o Evoque traz um balanço excessivo em algumas situações, mas a suspensão macia, que filtra bem irregularidades, compensa com conforto.
Além do Torque Vectoring, como é chamado o sistema em inglês, houve uma complementação do já existente Park Assist (assistência para estacionamento). Antes, o utilitário tinha a ferramenta para vagas paralelas. Agora, funciona também para perpendiculares. Há tambem controle de cruzeiro adaptativo com QueueAssist, que freia automaticamente ao se aproximar de um veículo mais lento a acelera ao detectar pista livre. O Park Assist só é oferecido a partir da variante Prestige, intermediária.

 Land Rover Range Rover Evoque 9 marchas (Foto: Land Rover)



Se todos os elementos acima funcionam bem, é na central multimídia que o Evoque peca. Apesar do HD interno que possibilita a gravação de 10 CDs, segundo a marca, os botões da tela touchscreen de 8 polegadas são pouco intuitivos e têm respostas muito lentas. Vai contra os recursos que incluem Bluetooth, USB, entrada para iPod e GPS. O sistema é oferecido a partir da versão intermediária.

É também de fábrica que vem a tecnologia start-stop, que desliga o carro quando ele estiver parado e o religa assim que o motorista movimenta os pedais. Com esse recurso ligado, nossa medição de consumo resultou em 11,6 km/l. Nas estradas a coisa é diferente e o Evoque mostra seu espírito beberrão. Após uma longa rodagem no modo Sport, registramos 8,4 km/l.

Land Rover Range Rover Evoque 9 marchas (Foto: Land Rover)

Espaço, conforto e acabamento

A distância entre-eixos do Evoque não é das melhores. São 2,66 metros, contra 2,80 m de seu concorrente direto BMW X3. Digamos que o Range Rover está no mesmo patamar do Audi Q3, com 2,60 metros. Além das pernas, as cabeças também podem passar por apertos. A culpa é a queda do teto estilosa, que até pode dar um arzinho de cupê, mas que aperta a cabeça dos passageiros mais altos atrás.

O Evoque testado por Autoesporte contava com o Tech Pack, que traz bancos tipo concha mais esportivos, entre outros itens. Os assentos são confortáveis e não barram movimentos dos braços. O volante grande tem boa pegada. Ajustes elétricos para o motorista são de série desde versão de entrada.

Nem tudo é tão prático. Tal como os passageiros do banco de trás, a visibilidade também vira uma vítima da moda no Evoque. Assim como teve a sacada de diminuir o tamanho dos retrovisores, a montadora britânica poderia ter pensado em aumentar a visibilidade do vidro traseiro, que continua péssima. Parece que para a Land Rover, vale sacrificar de tudo pela manter o design de sucesso do do SUV que chegou ao Brasil em 2011 e três anos depois se concretizou como o veículo mais vendido da marca por aqui.


 Range Rover Evoque 2014 (Foto: Divulgação)

Fontes: AUTOS ESPORTE

 



 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário